Seguidores

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

PROJETO XADREZ



Jogo de habilidade mental, o  xadrez exige muito foco para conseguir pensar tanto nas suas jogadas como nas do adversário. Além disso, é necessário ser rápido para jogar no período de tempo determinado. Essas habilidades podem ser extremamente úteis na hora de fazer provas teóricas, que requerem concentração e agilidade.
Portanto, no jogo de xadrez, são exploradas estratégicas pedagógicas de aprendizagem e desenvolvimento pessoal. Denotando a importância do projeto desenvolvido em contraturno para alunos do Ensino Médio, os quais vêm para a escola uma vez por semana no período vespertino e coordenados pela Professora Rejane Hartmann desenvolvem o projeto de xadrez.
Compreende-se que aprender a Jogar Xadrez apresenta como objetivo geral, proporcionar aos educandos a oportunidade de conhecer e aprender o jogo de Xadrez e utilizá-lo para desenvolver habilidades como: atenção, concentração, julgamento, planejamento, imaginação, antecipação, memória, vontade de vencer, paciência, autocontrole, espírito de decisão e coragem, lógica matemática, raciocínio analítico e sintético, criatividade e inteligência; estimulando a superação de desafios e o respeito ao adversário.
Tendo consciência dos benefícios do estímulo ao jogo de xadrez convidou-se a turma do mesmo projeto da Escola Estadual do Campo Dois Irmãos, coordenado pela professora Dilva Miotto, promovendo, assim, uma tarde recreativa de interação entre as turmas e aprendizado.











quarta-feira, 17 de setembro de 2014

ALUNOS ACIMA DA MÉDIA 8 - ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

mural da escola









A educação é um processo de envolvimento de toda a comunidade escolar, juntos lutamos para melhorar o desempenho de nossos alunos e suas conquistas são valorizadas.

PARABÉNS
 


sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Encontrando um território novo - 1º ano




Trabalho feito na disciplina de História, com os alunos do 1º ano do Ensino Médio sob supervisão da professora Emanuelle.  A proposta do trabalho - quanto à parte do conteúdo estudado no segundo trimestre (As Grandes Navegações, Renascimento Cultural, Américas Conquistadas, Absolutismo e Reforma Protestante) – era: “Encontrar um território novo”!  Compreendendo estes requisitos e seguindo este roteiro:
- de onde saíamos;
- que rota percorremos, quantos marinheiros, quantos mantimentos e que tipo de embarcação, etc;
- quanto tempo durou nossa viagem;
- que perigos e dificuldades enfrentamos durante a viagem (monstros, calmaria, águas ferventes, falta de mantimentos, navios piratas e etc);
- como era o país no qual chegamos (geografia, clima, religião, instruídos, não instruídos, baseados no humanismo e etc);
- quais características as pessoas ou os seres tinham nesse país;
- como foi nossa relação com os habitantes desse novo país (amigável ou não...);
- como era a forma de governo (absolutista, monárquico, república, tipo diferente de governo..., etc);
- lá ficaram ou voltaram a seu país de origem e por quê?
- alguma aliança comercial ou dominação fizemos, ou seja, que tipo de relação construímos com esse país;
- de um nome e faça um mapa para esse país.
            Com estas informações em mãos os alunos conseguiram colocar o conhecimento em prática e trabalhar a criatividade e imaginação!! Parabéns ao 1º ano!!

PERIGOS ENCONTRADOS DURANTE A VIAGEM. MONSTROS MARINHOS - ALUNOS DILCEIA E ANTONIELLI

MONSTRO QUE POVOAVA O TERRITÓRIO ENCONTRADO - ALUNAS MARAGIANE E BEATRIZ

Embarcação utilizada na viagem - Alunas Ana Carolina e Barbara Garmus


Jheihan - Alunos Renan e Jheinifffer




Habitantes do Local: Anão dominado e Bretão dominador - Alunos Luiz Antônio e Bruna Eduarda

Ilha do Macaco - Alunos Lucas e Vinícius
Criatura encontrada no novo território e utilizada para o trabalho - Alunos Dener e Julio


Viagem Rumo ao Desconhecido
jefferson Eduardo Dall Alba
 Elique Matheus ely
Em 1422, exatamente às 9 horas e 25 minutos iniciamos nossa jornada na Espanha a um rumo desconhecido. Em nossa caravela “Cherches” levávamos 12 tripulantes a bordo e mantimentos para 120 dias.
Em mar nos deparamos com muitos perigos, tempestades e ondas ferozes capazes de engolir uma caravela. Tivemos um combate com um navio pirata, mas com nossa experiência saímos vencedores e sem nenhuma avaria na “Cherches”.
Após 115 dias os tripulantes começaram a reclamar que a comida estava acabando e nós não avistávamos terra alguma. Navegamos mais 3 dias com comida escassa e pouca água até que um marinheiro avistou terra.
Com 118 dias passados de navegação encontramos uma terra desconhecida. O lugar com algumas montanhas e vulcões, florestas e vários animais desconhecidos. Após varias semanas no lugar, descobrimos que na verdade era uma ilha, e o povo usava suas pessoas mais belas em sacrifício a seus deuses.
A nossa relação com os habitantes era amigável, eles nos ajudavam a fazer as habitações. O chefe da tribo era um homem velho, como ossos na orelha e nos lábios, ele era alto, negro e musculoso como a maioria dos habitantes, raramente estes habitantes falavam sendo nossa comunicação por gestos.
Mais alguns meses de convívio resolvemos voltar para o nosso país e chamar mais pessoas para explorar a ilha. Chegamos à Espanha após 88 duas de viagem, ficamos lá dois meses e voltamos com mais 10 caravelas e 150 homens.
Seguimos a mesma rota várias vezes, mas não achamos ilha alguma, ficamos alguns dias vagando na esperança de encontrar, mas nada adiantou.
Resolvemos seguir novamente o rumo inicial, o desconhecido. Lendas contam que é uma ilha flutuante, outras que é uma ilha fantasma, sei que isso não foi normal.
 








Parabéns pelo trabalho

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

TRABALHO FOTOGRAFIA SURREAL - 9º ANO - PROFª FABIANA WILLINBORG

O trabalho foi feito a partir de estudos referentes a fotografia, elementos fotográficos e possibilidades artísticas dentro das artes visuais a partir da linguagem fotográfica.

As produções realizadas pelos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental orientados pela Professora de Artes Fabiana Willinborg uniram fotografia e o surrealismo, movimento no qual se baseia o mundo irreal, através de obras que fogem totalmente da realidade.